Customização

Strato Red Relic

Relicar, gastar, deixar a guitarra com aquele visual de “panela velha é que faz comida boa” pode também representar o desprendimento de poder tocar a vontade sem se preocupar com nada, com nenhum arranhão.

E também mudar o visual de uma forma mais nervosa, no estilo “Customização Sangue nos Olhos”!

strato_red_relic_pauleira1
ANTES do Relic

Era uma guitarra já tunada anteriormente. Apesar do captador do meio estar meio “caidinho” fisicamente, ela veio mesmo pra porradaria!

Muita gente tem medo de bater o instrumento sem querer na quina da mesa, da porta ou deixar a correia escapar, ou deixar cair algo em cima e marcar a pintura…enfim, uma boa solução para evitar esse problema é relicar o instrumento. Pronto! Assim voce não fica com raiva de ninguem que pede para ver, testar ou deslocar o instrumento do lugar….qualquer acidente será bem vindo para contribuir com o visual e assim todos vivem em paz. E voce se preocupa apenas em tocar guitarra, sem neuras. Ou não.

strato_red_relic_pauleira2
DEPOIS do Relic

Mas acima de tudo, quando se trata de instrumentos com pinturas, ferragens e plásticos desgastados e envelhecidos o mais importante é se identificar com o estilo, praticar o desapego da guitarra querida e estar aberto a todo e qualquer tipo de agressão física (que as vezes, dependendo do caso, pode se tornar psicológica).

Vejam as fotos dos detalhes da destruição que tivemos o maior prazer de realizar:

Para fazer o envelhecimento do escudo, knobs e covers dos captadores, fomos um pouco menos severos: afogamos todos eles em uma fórmula ultra secreta de café por alguns dias. Uma tortura interativa na qual todos que tomassem café durante o período de punição dos plásticos eram obrigados a contribuir com uma parte ao abastecerem suas canecas. Parte do ritual é fazer todo mundo de cúmplice.

OBS: O plastico pega mais fácil a cor do café, chá, agua de salsicha, açafrão, molho de tomate, iodo, casca de cebola, ou qualquer outro ingrediente que utilizar, se a superfície for previamente lixada.

strato_red_relic_pauleira14

Neste caso, nossa intenção era deixar levemente amarelado. Pois é, até grau de amarelamento é considerado dentro do nosso nível de exigência (para não falar “de chatice” hehe).

Todos os serviços que envolvem Relic, independente de ser leve ou hard, acontecem da seguinte forma:

1) O cliente manda as referencias do que gosta.

2) A gente marca os principais pontos e começa a desgastar. Aqui, vale lembrar que, independente da cor da sua guitarra, nunca sabemos o que há além das profundezas da “Crosta Terrestre”. Neste caso da Red Strato, havia a camada superficial vermelha. Abaixo dela, prata. Em seguida o preto e antes do “núcleo” a camada de seladora. Confiram o exemplo de um Relic Multicamadas  que rolou por aqui!

3) Mandamos as primeiras fotos dos primeiros desgastes para eles morrerem de medo e ficarem ansiosos.

4) A partir daí começamos a trabalhar em equipe: gasta um pouquinho mais para a esquerda…iiiisso, agora dá uma lascada em cima….perfeito, agora está perfeito!

E graças aos nossos treinamentos  psicológicos e meditações frequentes, a gente segura essa onda na maior paciência e coloca todo mundo para trabalhar, tentando reeguer dos destroços uma guitarra única, estilosa, confortável e com muita história para contar!

strato_red_relic_pauleira19

strato_red_relic_pauleira20

Quer saber mais sobre nossos serviços “Sangue nos Olhos”?!

Confira nossa página exclusiva de Relic, viaje na ideia e entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *