Customização

Inlay sob medida

Como muitos já sabem, trabalhar com inlay é uma das minhas atividades favoritas! Então vou compartilhar aqui com vocês uma outra encrustação. Só que desta vez, sob medida!

Retirada dos trastes.

A guitarra já tinha um inlay. Ou melhor, um sticker inlay…aqueles de adesivo que você mesmo aplica e fica de boa…até enjoar e descobrir que o verdadeiro inlay é outra pegada!

Centralizando a região do sticker para adaptação da nova peça.

Esta arte foi feita pelo Yuri – se ainda não ficou obvio, ela representa a assinatura dele – e serviu como composição visual para a guitarra feita por luthier.

Peça feita sob encomenda em madrepérola.

Dependendo do tipo de arte a ser encrustada, mandamos fazer a peça na DePaule Supply – eles fazem excelentes trabalhos tanto em madrepérola quanto abalone (possuem modelos prontos e também fazem o seu desenho!).

A peça chega assim: colada em um tipo de papel cartão para não quebrar durante o transporte.

Mas o grande desafio, principalmente quando se trata de peças com pontas, margens muito finas ou micro pecinhas compondo alguma arte, é descolar o material da base de papel.

A primeira instrução é colar uma fita adesiva na peça. Tipo aquelas fitas grossas para embalagem – bom, como eu tinha este material foi o que eu utilizei.

Drink da descolagem

Em seguida, separei um recipiente e coloquei o combo grudado dentro dele enquanto fervia uma quantidade razoável de água.

Após a conclusão da fervura, coloca a quantidade suficiente no recipiente até cobrir a peça colada.
E deixa descansar…
A peça uma hora solta do papelão…não tem jeito, tem que esperar.

E ao soltar a peça, como ela estava grudada pela fita transparente, nada desencaixa da composição e fica muito mais fácil para você trabalhar o restante do processo.

Marcando o contorno da peça na escala da guitarra.

A peça quadrada fica muito mais fácil de ajustar à linha central.

Muito tempo com adesivo colado a escala fica com a marca do adesivo.

Apesar da marca parecer uma solução para os contornos do desenho, ela acaba atrapalhando um pouco pois além de estar levemente fora do centro sua dimensão era um pouquinho menor que a da nova peça.

Passando a lâmina.

Como sempre, utilizo lâminas para demarcar o acabamento das limitações das cavidades.

Escavando…

Micro retifica + micro fresas = trabalho de escavação mais apurado (principalmente nas laterais e pontas).

Sistema de varredura de impurezas.

Este tipo peça vazada eu trabalho da seguinte forma: faço a cavidade completa sem os detalhes vazados apenas para encaixar a peça e depois enxerto o pó de madeira da escala para preencher os espaços centrais.

Mas para isso é necessário coletar o pó preto!

Sistema de coleta do pó de madeira.

Ao juntar todo o pó no centro da cavidade, coloquei uma mini tampinha de um potinho para concentrar o material.

Virando o pó na tampinha.

Pressionei a tampa contra a escala e virei a guitarra (neste caso era braço colado, para ajudar!) para que o pó todo acumulado caísse dentro dessa tampa.

Pó de madeira da escala separado para futuros enxertos.

Durante todo o processo de abertura da cavidade do inlay eu fui fazendo isso algumas vezes para poder aproveitar uma boa quantidade e trabalhar depois com material suficiente.

Toda tampa tem seu potinho!

E assim foi feita a estocagem do material.

Encaixe da peça.

Para não ficar aquelas marcas de enxerto ao redor do inlay – e isso serve para toda e qualquer encrustação – é importante se concentrar no acabamento da área delimitada para não precisar ficar tapando buraco e seu trabalho ficar com uma aparência mais ou menos.

Colagem

Eu gosto de usar bonder nesse tipo de trabalho por ser de secagem muito rápida, facil de aplicar e porque sim.

Abrindo o potinho

Antes de nivelar a peça, comecei a fazer os enxertos internos.

Fui preenchendo as partes com pó e super.

E quando a enchente tomou conta do piscinão, começaram os trabalhos de escoamento de excessos.

Lima e lixa para o nivelamento do inlay.
Reabrindo as cavidades dos trastes.

Como a peça cobriu duas cavidades de trastes foi necessário refazer essas cavidades, começando com uma serrinha de ourives mais fina…

…e depois finalizar com o serrote normal de fretwork.

Inlay Madrepérola

15 comentários sobre “Inlay sob medida

  1. Paula, você é uma natural! Nasceu pra ser luthier mesmo. Até eu que não sou muito chegado a guitarras (Vou envoltar meu trabalho com contrabaixos) fiquei babando com esse serviço.

  2. Já vem eu reviver um tópico bem antigo… e desde já fico grato se alguem tiver como me responder ok.
    Tem como comprar peças prontas para inlay aqui no Brasil, e em Pernambuco?

    Valeu gente! Paula, vc é demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *