Minha Primeira Guitarra

No dia 7 de maio, lançamos uma ideia que vínhamos estudando há algum tempo, o Pauleira Custom Show. Para inaugurar os assuntos que envolvem o trabalho que fazemos, escolhemos o tema  “Minha Primeira Guitarra” por representar alguns primeiros passos. Foi nosso primeiro assunto no programa, o projeto de construção dessa guitarra foi nosso primeiro desafio de instrumento infantil, e também a primeira guitarra do “Benjamim Beatles” (como ele mesmo se auto denominou na entrevista do programa).

Queria convidar todos vocês a assistirem a Trilogia “Minha Primeira Guitarra” e ajudarem a compartilhar essa idéia de incentivar mais as crianças a se envolverem com arte, com música para que elas possam descarregar toda energia e ainda aprender coisas que ajudam a entender o mundo, as pessoas e a vida!

Dividimos este assunto em 3 episódios, que foram ao ar no Canal Pauleira durante este mês de maio, para conseguirmos mostrar boa parte de uma das formas de construção de instrumentos em nossa oficina. Já que se tratava de uma proposta diferenciada envolvendo de um lado a inspiração na guitarra do John Lennon (a Rickenbacker preta) para uma criança, e de outro a economia de compra de peças e otimização de processos manuais, tornando o mais “simples” e legal possível.

 

Projeto da guitarra

Bom, a parte do simples é bem relativa…o trabalho é o mesmo para nós. A única diferença é a dimensão do corpo e do braço – também adequamos a distancia entre os trastes – pensando em uma vida mais longa e próspera para o instrumento, afinal, criança cresce tão rápido que a gente nem percebe!

 

Gabaritos

Nós confeccionamos nossos próprios gabaritos. Como geralmente trabalhamos instrumentos que quase não se repetem e todos tem alguma mudança por mais que o modelo seja o mesmo, gostamos de fazer manualmente porque assim podemos ir pensando e ajustando ao mesmo tempo, simulando a real dimensão e definindo o visual com uma experiência prévia de como poderia ficar a guitarra.

 

Configurando todas as cavidades, curvas, encaixes, fica muito mais fácil trabalhar na peça do corpo da guitarra.

 

Utilizando as tupias e fresas com rolamento é só confiar no molde e passar as “informações todas” para os blocos de madeira.

 

Olha só como fica perfeito!

Em relação ao modelo original Rickenbacker, nós procuramos seguir apenas algumas referências do “layout” como inspiração (tanto é que o contorno do corpo e do headstock foram feitso sem a planta da guitarra original, sem seguir as reais proporções) e também para remeter a uma guitarra representativa para o menino Benjamim, com as peças do Marcio Zorzella e o toque Pauleira!

 

Dentro das próprias dimensões do corpo, nós desenhamos os escudos e a tampa do tensor.

 

O escudo e a tampa do tensor são muito representativos nas guitarras Rickenbacker então, não poderiam deixar de aparecer neste projeto.

Uma outra curiosidade é que o braço que confeccionamos para essa guitarra não possui headstock angulado, portanto, a tampa do tensor teria que ser trabalhada para poder se encaixar no formado de headstock rebaixado.

 

Então, posicionamos a tampa no headstock e, com um soprador térmico, moldamos a placa de acrílico para que assentasse perfeitamente nessa região abaulada.

 

Para escrever o nome do Ben na tampa, foi uma loucura! Lembramos desse detalhe do nome no dia da montagem, um dia antes da entrega da guitarra…daí fica todo mundo insano criando arquivo, enviando para a gráfica, correndo para ir buscar, enfrentando o transito, chuva…

 

Originalmente a guitarra é preta. Optamos pelo acabamento fosco por questões de simplicidade e praticidade, mas por baixo dessa pintura preta existe um efeito burst vermelho-laranja-amarelo com desenhos em azul claro prometendo uma experiência única a cada batida que o instrumento sofrer. Infelizmente não tiramos fotos do processo de pintura, mas filmamos o que rolou para compartilhar com vocês no episódio 3 da Trilogia “Minha Primeira Guitarra”.

 

Essa foto relata o exato momento que estávamos começando a gravar os vídeos da montagem da guitarra.

É um baaaita trabalho fazer guitarras, filmar, configurar câmeras, pensar no que falar, escolher coisas legais para compartilhar, preparar um conteúdo interessante e ainda ter que cuidar de todas as outras funções que envolve ter uma empresa, sendo ao mesmo tempo seu próprio chefe e funcionário.

Mas fazemos isso com o maior prazer porque queremos contribuir de alguma forma para que as pessoas possam ver coisas diferentes, interessantes e através disso possam criar coisas novas pra sí mesmas e para o mundo… ou até incentivar seus amigos e familiares que também contam com seu apoio para desenvolverem um negócio, uma marca, um talento, uma idéia.

 

O último episódio da  “Minha Primeira Guitarra” mostra a parte da montagem e entrega da guitarra do Benjamim.
Ficamos muito felizes com o resultado final, na maior expectativa de entregar um instrumento cheio de carinho, alegria tanto para o Ben (sim, somos praticamente brothers já hehehe) quanto para o Marcio, o super pai.

Essa experiência de fazer o presente é uma das melhores. Parece que muda toda a atmosfera durante as etapas de trabalho. A gente fica tão pilhado quanto a pessoa que vai entregar o presente, como se fosse uma surpresa para nós também.

Felizmente, não só tivemos a oportunidade de participar da entrega da guitarra como tivemos a oficina como palco desse momento tão especial.

 

Nós preparamos um ambiente de teste para receber o primeiro mini rockstar na Pauleira.

Essa é minha cadeirinha de infância. Toda vez que o Marcio vinha trazer ou buscar um instrumento, o pequeno Benjamim escolhia um instrumento da oficina, pedia para ligar o ampli, pegar os cabos, as vezes vinha com sua própria caixinha de palhetas, camisetas rock’n roll, super estiloso e perguntava onde estava a cadeira dele! Se é para estar em uma oficina de guitarras tem que participar, certo?!

Por conta disso, como esse dia foi a vez do menino vir buscar sua própria guitarra (depois de muitas outras visitas que eram “all about the bass”), nós separamos tudo o que ele precisava pois era o dia dele. Inclusive a cadeirinha!

Imaginem…ele entrou e foi direto ver o que havíamos escondido sob o pano amarelo, sem crise! That´s the way we like it!

O Benjamim é  super prático. Testou o instrumento que leva seu nome e foi logo resolver outro assunto do outro lado da oficina: construir uma guitarra. Claro!

Enquanto isso o pai foi curtir a mini guitarra, porque é muuuito cool e até a gente queria ter uma igual…quem sabe! Temos o gabarito ainda…saca só como ficou SENSACIONAL!

 

Long live guitarra Benjamim!

Muito obrigada Marcio Zorzella e Benjamim Beatles por fazerem parte da nossa história!

Let´s Rock!

Deixe uma resposta

This is a demo store for testing purposes — no orders shall be fulfilled. Dispensar